O relógio circadiano coordena temporariamente o metabolismo ao longo de um período de 24 horas, além de contemplar os períodos de alimentação-jejum e exercer influência nas variações metabólicas ao longo do dia. Além disso, é controlado por sinais de luz/escuridão e outros fatores externos, como horário das refeições ou disponibilidade de comida.

A maioria das funções hormonais e enzimáticas que controlam a hiperglicemia pós-prandial são reguladas pelo relógio circadiano e exibem variações diurnas.

A sensibilidade à insulina, a responsividade das células β, a atividade do GLUT-4 e a captação muscular de glicose são todas aumentadas nas primeiras horas do dia em comparação ao anoitecer ou à noite. Portanto, o metabolismo é otimizado para a ingestão de alimentos no café da manhã, enquanto a tarde e a noite são ideais para jejum e sono.

O desalinhamento circadiano, do ciclo dia/noite, muitas vezes imposto na sociedade moderna, como por exemplo: trabalhar por turnos, pular o café da manhã e realizar lanches o dia todo, inclusive à noite, estão associados à expressão do gene do relógio interrompida e ligados a respostas metabólicas anormais, ganho de peso, hiperglicemia pós-prandial, aumento do risco de diabetes e complicações cardiovasculares.

Em um estudo crossover publicado em 2015, avaliando pacientes com diabetes mellitus tipo 2, foi relatado que a omissão do café da manhã versus o consumo do café da manhã, teve associação a uma resposta de glicemia significativamente maior, após o almoço e também após o jantar subsequente. Além disso, em comparação com o dia em que o café da manhã foi consumido, a omissão do café da manhã levou a respostas reduzidas e retardadas de insulina, peptídeo C e GLP-1 após o almoço e jantar.

Outro trabalho com participantes com síndrome metabólica avaliou se uma dieta com ingestão calórica diária geral semelhante, mas com diferentes horários e distribuição das refeições (um café da manhã com alto teor de energia e carboidrato (Bdiet) ou um jantar com alto teor de energia e carboidrato (Ddiet)) teria uma influência distinta na resposta glicêmica pós-prandial após o café da manhã, almoço e jantar.

Ao longo de 12 semanas de estudo, o peso corporal diminuiu significativamente em ambos os grupos. No entanto, o grupo Bdiet mostrou uma perda de peso 2,5 vezes mais significativa. Após o teste da refeição do jantar de alto teor calórico no grupo Ddiet, a resposta da glicose pós-prandial foi significativamente maior em comparação com a resposta da glicose pós-prandial a refeição do café da manhã com alto teor calórico no grupo Bdiet.

Um artigo de revisão sobre o tema, publicado em 2021, aponta que o horário das refeições, independentemente da ingestão total de energia, exerce uma influência crítica nos genes dos relógios periféricos envolvidos na regulação dos processos metabólicos. Além disso, sugere que haja desvantagens metabólicas do café da manhã com energia reduzida e alto consumo de energia e carboidratos à noite. Em contraste, o padrão de horário das refeições, alinhado com o relógio circadiano e um consumo de um café da manhã de alta energia pode exercer um poderoso efeito de sincronização na expressão do gene do relógio central.

 

Referências:
1- Oike, H. Modulation of circadian clocks by nutrients and food factors. Biosci. Biotechnol. Biochem. 2017, 81, 863–870;
2- Jakubowicz, D.; Barnea, M.; Wainstein, J.; Froy, O. High caloric intake at breakfast vs. dinner differentially influences weight loss of overweight and obese women. Obesity 2013, 21, 2504–2512;
3- Jakubowicz, D.; Wainstein, J.; Landau, Z.; Raz, I.; Ahren, B.; Chapnik, N.; Ganz, T.; Menaged, M.; Barnea, M.; Bar-Dayan, Y.; et al. Influences of Breakfast on Clock Gene Expression and Postprandial Glycemia in Healthy Individuals and Individuals with Diabetes: A Randomized Clinical Trial. Diabetes Care 2017, 40, 1573–1579;
4- Jakubowicz, D.; Wainstein, J.; Ahren, B.; Landau, Z.; Bar-Dayan, Y.; Froy, O. Fasting Until Noon Triggers Increased Postprandial Hyperglycemia and Impaired Insulin Response after Lunch and Dinner in Individuals with Type 2 Diabetes: A Randomized Clinical Trial. Diabetes Care 2015, 38, 1820–1826;
5- Jakubowicz, Daniela, et al. “Role of High Energy Breakfast “Big Breakfast Diet” in Clock Gene Regulation of Postprandial Hyperglycemia and Weight Loss in Type 2 Diabetes.” Nutrients 13.5 (2021): 1558.