Com a pandemia do Coronavírus, as consultas feitas presencialmente por nutricionistas, assim como a maior parte das atividades, foram suspensas ou transformadas. A resolução CFN nº 646, de 18 de março de 2020, permitiu a atuação do nutricionista de forma não presencial até 31 de agosto deste ano. No dia 7 de agosto, no entanto, foi aprovada a prorrogação de tal resolução.

Por ser uma tendência nova, em especial, diante de circunstâncias as quais nenhum de nós estava acostumado, algumas incertezas podem surgir quanto a possibilidade do atendimento a distância. Por isso, nesta publicação vamos apresentar algumas dicas para ajudar você, nutricionista, a se encaixar nessa nova realidade.

Relação com o paciente

Nos últimos anos, o contato online entre pessoas já vinha aumentando e se solidificando. Mas no que isso afeta o profissional de saúde? Se você vai fazer uma consulta a distância, você já está inserido no ambiente virtual. Por isso, é preciso entendê-lo e saber se posicionar dentro dele.

Criar uma plataforma, como o Instagram por exemplo, é o primeiro passo para que seja possível fazer contato, tanto com aqueles que já são atendidos por você, quanto com possíveis novos pacientes.

Nessa plataforma você vai se apresentar ao seu público, mostrar conteúdos relevantes e estar disponível para essa nova forma de interação.

Ambientação

A consulta, a experiência que se tem com ela, começa muito antes do horário marcado. Se organizar para estar disponível naquele horário, se arrumar, o caminho até o consultório e aquele ambiente tradicional de contato entre nutri-paciente preparam e posicionam esse paciente a entender para o que ele está se dirigindo.

Na consulta online, isso não acontece. Dentro de casa, no mesmo ambiente de sempre, essa ambientação não ocorre. O que dificulta que seu paciente perceba e realmente foque naquele atendimento.

Uma forma de prepará-lo é mandar materiais pré-consulta. Antes mesmo da pandemia, não era incomum o uso desse tipo de material no atendimento nutricional. No entanto, para consultas a distância, isso é ainda mais importante. Materiais para obter informações como hábitos alimentares, qualidade do sono e rotina são apenas alguns desses exemplos. Isso ajuda o nutricionista a se preparar para a consulta, mas também contribui para que o paciente entenda que ele, efetivamente, participará de um atendimento de saúde. Além disso, atitudes como essa auxiliam você, nutri, a se posicionar como um profissional que sabe lidar com essa nova realidade.

Outro tipo de material que se torna extremamente útil na situação do atendimento a distância é aquele direcionado a explicar ao seu paciente como vai funcionar esse novo tipo de consulta. É possível, por exemplo, fazer um PDF, ou um e-mail, que esclareça as maiores diferenças entre os dois modelos de consulta, além das prováveis dúvidas que os pacientes possam ter (sempre atualizando com as novas que você perceber). É interessante também, nessa explicação prévia, incluir as suas regras sobre pagamento e marcação de consulta.

Atendimento de excelência

Não é porque você está em casa e não no consultório que não deva agir como um profissional. Como dito, ao enviar materiais que explicitem ao seu paciente que aquilo que vai mudar é, acima de tudo, a distância física, você se coloca como o primeiro a ter essa consciência e assume um compromisso de entregar um trabalho tão sério quanto antes.

Ainda que um atendimento online tenha suas limitações, a exemplo das avaliações físicas, a mesma atenção e preparação que se espera do paciente, você deve ser capaz de oferecer. No consultório, em casa, onde se propor a fazer um atendimento, esse atendimento deve ser feito com dedicação e qualidade. Interrupções, falta de atenção e cuidado são fatores que atrapalham qualquer consulta e são percebidos pelo paciente.

Estudo

O atendimento não presencial é uma novidade e, muitas vezes, um desafio. Estar preparado para exercê-lo significa estar em constante estudo sobre quais são as maneiras que o nutricionista pode trabalhar dentro dessa possibilidade.

Pensando nisso, o WebDiet preparou um curso completo sobre atendimento online para nutricionistas, que é gratuito para assinantes e disponibilizado na aba de Estudos

 

Apesar de todas essas dicas poderem ajudar na atuação do nutricionista nessa nova dinâmica, antes de tudo, o profissional de nutrição deve estar legalmente capaz para realizar consultas não presenciais. O Conselho Federal de Nutricionistas publicou a resolução de número 666, que trata das teleconsultas e do cadastro no e-Nutricionista. Assim, só podem realizar essas consultas os profissionais com inscrição ativa no Conselho Regional de Nutricionistas (CRN) e que estejam previamente cadastrados no e-Nutricionista, acessível pelos sites do CFN ou dos CRNs.

Vale destacar que o nutricionista que prestar teleconsulta sem realizar o cadastro no sistema e-Nutricionista estará sujeito às penalidades previstas nas normas do Sistema CFN/CRN.