As festas de fim de ano são datas tradicionalmente vividas com a família e amigos. As trocas de presentes e as comemorações são cercadas por comidas já típicas desse período. Por isso, é praticamente uma unanimidade: seguir a dieta no final de ano é muito difícil.

Nosso objetivo com esta publicação não é, no entanto, listar dicas para você manter a dieta, ou mostrar receitas com variações dos pratos tradicionais. Na verdade, queremos reforçar a importância do hábito de uma alimentação saudável e responsável durante o ano inteiro.

Não existem receitas milagrosas que te permitam experimentar todos esses alimentos sem nenhum tipo de desvio na dieta. Não desviar da dieta seria, exatamente, comer menos, ou não comer esses pratos, porque muitos dos alimentos clássicos de fim de ano são ricos em carboidratos simples (como farinhas e açúcares refinados), sódio, gordura e, consequentemente, ricos em calorias.

Como falamos, a refeição é parte fundamental das festas de final de ano. Por isso, para muitas pessoas, não partilhar da comida que todos estão consumindo ou ter pratos diferenciados para si, acaba por ser, na verdade, um problema em um momento que deveria ser de alegria e festa.

Equilíbrio é sempre a palavra chave. Se você manteve uma postura responsável na sua dieta durante o ano, não tem motivos para se sentir culpado em querer aproveitar suas últimas festas no ano. No entanto, comer com o famoso “olho grande” em nada ajuda na sua saúde ou no psicológico, pois se a culpa não bateu na hora, ela pode vir depois das festas, junto com outros problemas.

A exceção se dá para pessoas com condições clínicas ou patologias como diabetes, distúrbios cardiovasculares ou renais e gestantes. Ou seja, pessoas que realmente devem seguir uma dieta individualizada para sua condição e não podem ingerir certos alimentos pelo potencial de gerar riscos à saúde.

E você, Nutri? Preparou seus pacientes para um fim de ano com saúde e equilíbrio?