A resposta adaptativa ao treinamento físico é determinada por uma combinação de fatores: duração, intensidade, tipo de exercício, frequência do treinamento, além da quantidade e qualidade do padrão dietético nos períodos pré e pós-exercício. Pensando nisso, está se tornando cada vez mais claro que as adaptações iniciadas pelo exercício podem ser amplificadas ou atenuadas pela Nutrição.

Por exemplo, está bem estabelecido que, na ausência do consumo de proteína após o exercício, a síntese de proteína líquida é baixa e o músculo pode, na verdade, estar com balanço proteico negativo. Também há evidências de que a redução da disponibilidade de carboidratos pode promover adaptações específicas no músculo. Em contraste, a suplementação com antioxidantes em altas doses tem o potencial de reduzir a adaptação ao treinamento.

Vários métodos foram discutidos para otimizar as adaptações de treinamento e alguns desses métodos foram sujeitos a um estudo extensivo. Até o momento, a maioria dos métodos tem se concentrado no músculo esquelético, mas é importante notar que os efeitos do treinamento também incluem adaptações em outros tecidos (por exemplo, cérebro, vasculatura), melhorias na capacidade de absorção do intestino, aumento da tolerância à desidratação e outros efeitos que têm recebido menos atenção na literatura.

Uma revisão publicada em 2017, de Asker E. Jeukendrup, demonstrou estar se tornando cada vez mais claro que as adaptações, iniciadas pelo exercício, podem ser ampliadas ou reduzidas pela Nutrição. A mesma revisão buscou definir o conceito de Nutrição periodizada e resumir a grande variedade de métodos disponíveis para os atletas.

Embora haja boas evidências para alguns métodos, outros métodos propostos são meras teorias que ainda precisam ser testadas. “Nutrição periodizada” refere-se ao uso combinado estratégico de treinamento físico e Nutrição, ou apenas Nutrição, com o objetivo geral de obter adaptações que apoiem ​​o desempenho nos exercícios. O termo treinamento nutricional às vezes é usado para descrever os mesmos métodos e esses termos podem ser usados ​​indistintamente.

A aplicação prática da periodização nutricional apropriada reside na combinação ideal de diferentes métodos de treinamento nutricional. Alguns desses métodos já encontraram seu caminho nas práticas de treinamento de atletas, embora as evidências de sua eficácia às vezes sejam, na melhor das hipóteses, escassas.

 

Referências:
1- Morrison D, Hughes J, Della Gatta PA, et al. Vitamin C and E supplementation prevents some of the cellular adaptations to endurance-training in humans. Free Radic Biol Med. 2015;89:852–62.

2- Hawley JA, Burke LM. Carbohydrate availability and training adaptation: effects on cell metabolism. Exerc Sport Sci Rev. 2010;38:152–60.

3- Mujika I, Stellingwerff T, Tipton K. Nutrition and training adaptations in aquatic sports. Int J Sport Nutr Exerc Metab. 2014;24:414–24.

4- Jeukendrup A. Training the gut. Sports Med. 2016.

5- Jeukendrup, Asker E. “Periodized nutrition for athletes.” Sports medicine 47.1 (2017): 51-63.