A síndrome do ovário policístico (SOP) é uma condição que tem como características o hiperandrogenismo e resistência à insulina, além de ser a principal causa de infertilidade anovulatório.
O estresse oxidativo foi reconhecido em várias desordens patológicas como: resistência à insulina, obesidade, síndrome do ovário policístico, diabetes tipo 2 e doenças cardiovasculares.
Sabe-se que o desenvolvimento do estresse oxidativo ocorre quando há um desequilíbrio entre a geração de radicais livres e a capacidade de defesa antioxidante nos sistemas biológicos.
Os fatores associados a SOP que estão relacionados ao estresse oxidativo são: obesidade, resistência à insulina e hiperglicemia. No entanto, mulheres não obesas com SOP sem resistência à insulina também apresentam aumento do estresse oxidativo, sugerindo que outros fatores podem contribuir para induzir a produção de espécies reativas de oxigênio nessas mulheres.
O planejamento alimentar e a suplementação, em casos específicos, são algumas das estratégias utilizadas para o tratamento da SOP.
Um estudo de revisão publicado em 2021 teve como objetivo explorar a relação entre a suplementação de alguns nutrientes e os sintomas relacionados com a síndrome do ovário policístico. Confira abaixo:
Vitamina D
O mecanismo molecular entre a vitamina D e a SOP ainda não é claro.
Irani et al. relataram melhora nos parâmetros bioquímicos de mulheres com SOP quando suplementadas com vitamina D3, sugerindo que o progresso inflamatório na patogênese da SOP pode ser prevenido pela vitamina.
Uma metanálise conduzida por Akbari et al. em sete ensaios clínicos randomizados concluíram que a suplementação de vitamina D em mulheres com SOP resultou em uma melhora na proteína C reativa de alta sensibilidade (hs-CRP), malondialdeído (MDA) e capacidade antioxidante total (TAC), mas não afetou níveis de óxido nítrico (NO) e glutationa total (GSH).
Em um ensaio clínico randomizado realizado em mulheres com SOP, a co-administração de vitamina D e ômega-3 por 12 semanas teve efeitos benéficos sobre os parâmetros de saúde mental, níveis séricos de testosterona total (TT), hs-CRP, TAC e MDA.
Outro estudo de metanálise onde relatórios de ensaios clínicos randomizados e 956 indivíduos foram identificados, os resultados demonstraram que a suplementação com vitamina D em pacientes com SOP melhorou os níveis de TT, hs-CRP, TAC e MDA sem afetar outros marcadores hormonais e oxidativos, principalmente NO e GSH níveis. A suplementação de vitamina D em baixas doses (≤1000 UI / dia) em uma base diária foi mais promissora para melhorar os hormônios e o estresse oxidativo nessas pacientes.
Selênio
O selênio é protetor contra o estresse oxidativo e é fundamental para a formação do tecido reprodutivo. Níveis elevados de andrógenos, radicais livres e níveis insuficientes de selênio foram associados a mulheres com SOP. Um estudo de Coskun et al. revelou que mulheres com SOP tinham níveis séricos mais baixos de selênio e níveis aumentados de insulina e HOMA-IR, mas, quando comparados com os controles, os níveis não eram estatisticamente significativos.
Shabani et al. indicaram que a suplementação combinada de 200 µg/dia de selênio e 8 bilhões de unidades formadoras de colônia (UFC) de probiótico (composto por: Lactobacillus acidophilus, Lactobacillus reuteri, Lactobacillus fermentum and Bifidobacterium bifidum) por dia durante 12 semanas levou a uma redução significativa no peso, nos níveis de insulina sérica e no modelo homeostático de avaliação da resistência à insulina.
Além disso, a suplementação com selênio e probióticos reduziu o triglicerídeo sérico, o LDL total e a relação colesterol total/HDL em comparação com o placebo. Da mesma forma, Razavi et al. relataram que 200 µg de selênio diariamente por 8 semanas reduziram os níveis séricos de desidroepiandrosterona (DHEA), diminuíram a acne e o hirsutismo e aumentaram a incidência de gravidez quando comparados ao placebo.
Ômega 3
A suplementação de ômega 3 e vitamina E regulou negativamente a expressão gênica de lipoproteína A, mRNA e mRNA de LDL oxidado e reduziu significativamente o triglicerídeo sérico, VLDL, LDL e razão colesterol total/HDL em indivíduos com SOP.  A capacidade antioxidante total aumentou com uma diminuição acentuada nos níveis de malondialdeído em comparação com o grupo placebo.
Descobriu-se também em outro estudo que a ingestão de ômega 3 leva à diminuição significativa dos níveis séricos de insulina, HOMA-IR, TT e hirsutismo, enquanto aumenta o índice de verificação de sensibilidade à insulina (QUICKI). Ele também reduziu a proteína C reativa de alta sensibilidade e MDA e aumentou a glutationa plasmática total quando comparado ao placebo.
Referências:
1- Macut, D.; Bjekic-Macut, J.; Savic-Radojevic, A. Dyslipidemia and oxidative stress in PCOS. Front. Horm. Res. 2013, 40, 51–63;
2- Zhang, D.; Luo, W.Y.; Liao, H.; Wang, C.F.; Sun, Y. The effects of oxidative stress to PCOS. Sichuan Da Xue Xue Bao Yi Xue Ban 2008, 39, 421–423;
3- Jamilian, M.; Samimi, M.; Mirhosseini, N.; Afshar Ebrahimi, F.; Aghadavod, E.; Talaee, R.; Jafarnejad, S.; Hashemi Dizaji, S.; Asemi, Z. The influences of vitamin D and omega-3 co-supplementation on clinical, metabolic and genetic parameters in women with polycystic ovary syndrome. J. Affect. Disord. 2018, 238, 32–38;
4- Rahmani, E.; Samimi, M.; Ebrahimi, F.A.; Foroozanfard, F.; Ahmadi, S.; Rahimi, M.; Jamilian, M.; Aghadavod, E.; Bahmani, F.; Taghizadeh, M.; et al. The effects of omega-3 fatty acids and vitamin E co-supplementation on gene expression of lipoprotein(a) and oxidized low-density lipoprotein, lipid profiles and biomarkers of oxidative stress in patients with polycystic ovary syndrome. Mol. Cell Endocrinol. 2017, 439, 247–255;
5- Amini, M.; Bahmani, F.; Foroozanfard, F.; Vahedpoor, Z.; Ghaderi, A.; Taghizadeh, M.; Karbassizadeh, H.; Asemi, Z. The effects of fish oil omega-3 fatty acid supplementation on mental health parameters and metabolic status of patients with polycystic ovary syndrome: A randomized, double-blind, placebo-controlled trial. J. Psychosom. Obstet. Gynaecol. 2018, 12, 2000;
6- Akbari, M.; Ostadmohammadi, V.; Lankarani, K.B.; Tabrizi, R.; Kolahdooz, F.; Heydari, S.T.; Kavari, S.H.; Mirhosseini, N.; Mafi, A.; Dastorani, M.; et al. The effects of vitamin D supplementation on biomarkers of inflammation and oxidative stress among women with polycystic ovary syndrome: A systematic review and meta-analysis of randomized controlled trials. Horm. Metab. Res. 2018, 50, 271–279;
7- Dubey, P.; Reddy, S.; Boyd, S.; Bracamontes, C.; Sanchez, S.; Chattopadhyay, M.; Dwivedi, A. Effect of Nutritional Supplementation on Oxidative Stress and Hormonal and Lipid Profiles in PCOS-Affected Females. Nutrients 2021, 13, 2938.